Criação Profissional

Entrevista com Sue e Steve Schnarr – Snowshoe Goldens Kennel (EUA)

Sue Schnarr com seus Golden Retrievers
Sue Schnarr com seus Golden Retrievers

Seguindo nosso objetivo de sempre informar proprietários e criadores brasileiros sobre a raça, o Golden Retriever Online procurou Sue e Steve Schnarr, respeitados criadores Norte-Americanos, para falar sobre seus Goldens, sua criação e dividir um pouco da sua experiência e sabedoria sobre a raça conosco.

O Snowshoe Goldens Kennel é um respeitado canil americano, tendo produzido mais de 40 campeões americanos e exportando cães para diversos paí­ses, entre eles o Brasil.

Para conhecer mais sobre o canil, visite o site do Snowshoe Goldens.

1. Como vocês começaram a criar Golden Retrievers? Vocês criavam outros cães antes? Por que escolheram essa raça?

Na verdade eu nem tinha certeza se gostava de cachorro quando a irmã do meu marido (Steve) deu para ele “Echo” de presente.

Ele queria um Golden Retriever há muito tempo pois tinha boas lembranças de quando era criança e cresceu com um cão da raça chamado “Nipper”.

A irmã do Steve, Mary, estava começando a trabalhar profissionalmente com cães e ficou sabendo que sua “Special” tinha displasia coxo-femural.

Eu e meu marido decidimos então comprar um Golden “show quality” para fazer companhia a Echo e ao mesmo tempo possibilitar que a Mary o levasse às exposições.

Três anos depois tivemos nossa primeira ninhada de Golden Retriever…me apaixonei completamente pela raça.

2. O que vocês acham que os levou para um sucesso tão grande na criação de top show Goldens?

Nosso primeiro objetivo sempre foi criar cães para famílias (de companhia) e em segundo lugar Goldens versáteis (como a raça pede) que pudessem fazer tudo que você escolher: seja obediência, treinamento para caça ou exposições de beleza.

Sempre focamos em saúde e temperamento e acho que muito do sucesso vem daí­. Todos os nossos amigos possuem um Golden Retriever de nossa criação.

Nós amamos a raça e o que esses cães fazem pelas crianças e pessoas em geral, amamos a companhia desses cães, eles nos mantém jovens.

3. Seu programa de criação é muito conhecido por produzir Goldens Retrievers de qualidade máxima. Normalmente qual é o processo de escolha de padreador (pai) e matriz (mãe) para uma ninhada?

Na verdade fomos muito felizes ao cruzar duas linhas que temos em nosso plantel: a do Presley, que é bem compacto, muito esperto e gosta de se mostrar e o Montana, que é maior, com uma cabeça massiva, com ótima movimentação lateral e adora agradar a todos.

Basicamente fizemos algumas escolhas até chegar ao Presley e ao Montana e a partir daí­ cruzamos filhas do Presley com o Montana e filhas do Montana com o Presley, o que deu muito certo!

4. No Brasil os canis normalmente focam em falar da sua estrutura. Nos EUA percebemos que os criadores tem uma preocupação maior com temperamento, em deixar o cão viver na casa, participando da rotina. Afinal, o que você considera mais importante: uma fazenda enorme para criar Goldens ou um programa de criação sério, baseado em saúde e temperamento?

Nós moramos em um local com 10 acres, o que com certeza significa muito espaço para nossos Goldens mas nossa preocupação maior foi ter uma casa que permitisse tê-los por perto.

O primeiro andar da nossa casa foi desenhado para permitir total acesso aos nossos Golden Retrievers.

Nós temos uma área de canil, mas na verdade os cães participam da rotina da casa tendo total acesso ao primeiro andar onde temos sofás de couro, escritório etc.

5. Como vocês escolhem um filhote de Golden Retriever? Como sabem se ele será “show” ou “pet” (para companhia)?

Costumo olhar para a foto geral do filhote, o fenótipo. Vejo o tipo de cabeça, o jeito que o filhote fica de pé, a movimentação e se ele “tem aquilo”. Sobre “ter aquilo” o que quero dizer é uma atitude de “olha para mim, não sou bonitinho?”.

Os bons cães nunca perdem o “aquilo”. Eles não passam por fases feias na adolescência: crescem proporcionalmente.

6. Vocês acompanham as criações de outros países?

Costumamos acompanhar os países para onde exportamos: temos alguns cães exportados para o Brasil sendo o mais conhecido “Snowshoe’s Great Balls of Fire” – Charlie.

Temos um cachorro na Argentina, “Snowshoe’s Luck of the Draw” – Poker.

Esses dois paí­ses reconhecem bastante o nosso sucesso misturando as linhas do Presley e Montana e continuam fazendo o mesmo trabalho com bastante sucesso.

Além de Brasil e Argentina também temos Golden Retrievers no México, Tailândia e Croácia.

Sempre que vou exportar um cão tomo muito cuidado com qual cão enviarei. Nunca vendi um Golden Retriever para outro país que não fosse realmente “show quality”.

Sempre penso se seria um cão que eu manteria para mim mesma e só assim vendo.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios