Criação ProfissionalDoenças Comuns

O Golden Retriever e o Câncer

Câncer é um assunto chato entre seres humanos e até pouco tempo tratado como tabu.

Na raça Golden Retriever o câncer é a causa número 1 de mortes, de acordo com um estudo de saúde realizado pelo GRCA.

Dois tipos de câncer respondem por 50% dessas mortes: hemangiossarcoma, que atinge os tecidos moles, principalmente o baço pele e coração e o linfossarcoma (linfoma), que atinge os linfonodos (gânglios) e se estende para baço, fígado, rins e pulmões.

Sendo um assunto tão sério e frequente na raça, não poderíamos deixar de abordá-lo aqui no Golden Retriever Online (antigo Golden Retriever Brasil).

É importante falarmos sobre o problema e debatermos com outros proprietários (tutores) de Goldens, com criadores, com os kennel clubes, veterinários, tutores de outras raças e assim por diante. Só assim passaremos a ter mais conhecimento sobre a doença.

Alguns números alarmantes sobre o câncer na raça Golden Retriever:

  • 60% dos Goldens morrem de câncer;
  • 57% das fêmeas da raça morrem de câncer;
  • 66% dos machos da raça morrem de câncer;
  • O câncer em Goldens é quase o dobro do que em outras raças;
  • Mesmo assim, a raça vive em média 10 / 11 anos, o mesmo que outras raças que não possuem uma incidência tão grande da doença;
  • O hemangiossarcoma atinge 1 em cada 5 Goldens;
  • O linfoma atinge 1 em cada 8 Goldens.

Em uma ninhada de 10 filhotes de Golden Retriever, 3 devem morrer de câncer e por isso é tão importante falarmos a respeito.

O câncer não é uma fatalidade que pode acontecer só com o seu cachorro. Ele está presente na vida de todos nós, entre humanos e todos os bichos. Não podemos ignorá-lo.

O câncer contém células que não param de se multiplicar quando deveriam e não morrem quando deveriam. É isso que o torna um “câncer”.

Eles são identificados pela sua célula de origem. O hemangiossarcoma, por exemplo, é originado nas células endoteliais, como as que revestem as paredes dos vasos sanguíneos. O linfoma vem de células do sistema linfático, osteossarcoma dos ossos e assim por diante.

Uma das questões principais de ser entendida é o câncer ser chamado de uma doença genética.

Para os cientistas, genético é tudo aquilo que precisa ser olhado nos genes para ser entendido.

Os criadores, por outro lado, costumam usar a palavra “genética” para indicar aquilo que é herdado de um cão para o outro.

O câncer é genético pois precisamos olhar os genes para analisá-lo, mas ele é parte herdado e parte não herdado, o que significa que um criador não pode eliminar a doença a partir de critérios de criação pois não é apenas o esperma e o óvulo que vão definir se um cão terá câncer.

Na raça Golden Retriever existem algumas teorias não conclusivas sobre o motivo da alta incidência de câncer. Uma delas diz que os cães que originaram a raça possuiam genes que foram concentrados ao longo dos anos, aumentando o risco de câncer em todos os Goldens atuais.

Como o sistema imunológico tem um papel importante quando se trata de câncer pois ele pode destruir as células de câncer antes que que elas causem um câncer clínico, vem uma segunda teoria.

A raça tem propensão a uma série de outros problemas de ordem imunológica como alergias, hot spots, problemas no ouvido etc.

Essa teoria pode estar relacionada a primeira já que os mesmos cães fundadores da raça poderiam ter os genes disfuncionais quando se trata de doenças de ordem imunológica.

Apesar de não ser possível, com as informações disponíveis no momento, emiliar ou reduzir os riscos de câncer nas criações, alguns dados fortes sugerem alguns caminhos para a redução efetiva do câncer no Golden Retriever e devem ser levados em consideração:

  • Tentar manter uma curva de crescimento mais lenta, mantendo filhotes, jovens e adultos mais magros e saudáveis;
  • Alguns suplementos são considerados benéficos para melhorar o perfil de risco do câncer. Servir vegetais frescos como couve-flor, brócolis, e repolho e cerca de três vezes por semana e outros indicam a adição diária de ômega-3 e ômega-6 como os contidos em óleos de peixe e outras indicações de 200 mcg de selênio e 400 I.U. de Vitamina E;
  • Devemos evitar a exposição dos cães a agentes cancerígenos como: aquecedores a carvão ou querosene, vapores de solventes e tintas, amianto, fumo passivo (fumar próximo aos cães), radiação (excesso de raio-x), herbicidas fenoxi e pesticidas.

Esperamos que esse artigo traga uma reflexão sobre a necessidade de falarmos abertamente das patologias que atingem nossos Goldens e possamos juntos pesquisar, juntar mais informações e debater os temas, para assim contribuirmos para que a raça fique mais saudável.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios